Torcicolo Muscular Congênito

04/01/2020

O torcicolo muscular congênito, é uma condição na qual uma criança mantém a cabeça inclinada para um lado e tem dificuldade em virar a cabeça para o lado oposto.

No torcicolo congênito, o músculo acometido - o músculo esternocleidomastóideo - é endurecido e encurtado. Para a maioria dos bebês, exercícios de alongamento e mudanças simples na maneira como a criança é mantida ou posicionada alongam gradualmente o músculo e corrigem o problema.

Descrição 


O torcicolo muscular congênito está presente desde o nascimento ou se desenvolve logo após. Geralmente é descoberto nas primeiras 6 a 8 semanas de vida, quando um recém-nascido começa a ganhar mais controle sobre a cabeça e o pescoço.

Alguns bebês com torcicolo congênito também apresentam displasia do desenvolvimento do quadril - uma condição na qual a cabeça do fêmur não é encaixada no quadril, logo essa patologia sempre deve ser suspeitada.

O torcicolo também pode se desenvolver mais tarde na infância e até mesmo em adultos. Este tipo de torcicolo é referido como torcicolo "adquirido" e pode estar associado a uma variedade de condições que requerem tratamento especializado. Torcicolo adquirido não é o motivo desse artigo.

Causa

A causa do torcicolo muscular congênito é desconhecida, no entanto, pode estar relacionada ao posicionamento anormal (posição sentada, por exemplo) ou "compressão" do bebê enquanto está no útero. Isso resulta em uma lesão no músculo do pescoço que cicatriza enquanto cura. A quantidade de cicatriz no músculo determina a rigidez do músculo.

Ter um espaço mais apertado no útero é mais comum em crianças primogênitas, com maior probabilidade de terem torcicolo, além de displasia do quadril.

Não é conhecido nenhuma forma de prevenção do torcicolo muscular congênito.

Sintomas


Se você perceber que seu filho mantém a cabeça inclinada para um lado, informe seu pediatra, caso ele ache necessário poderá encaminhar ao ortopedista.

Um exame físico geral e abrangente verificará todas as condições que podem causar a patologia. Testes de imagem, como raios-x e ecografia, podem ser realizados no pescoço e / ou quadris do seu filho.

A cabeça se inclina para o lado acometido e o queixo aponta para o ombro oposto. Em 75% dos bebês com torcicolo, o músculo do lado direito do pescoço é afetado.

A limitação de movimento no pescoço torna difícil para o bebê virar a cabeça para o lado acometido e também para cima e para baixo.

Durante as primeiras semanas do bebê, um nódulo macio pode ser sentido no músculo do pescoço afetado. Esse nódulo não é doloroso e desaparece gradualmente antes que o bebê atinja os 6 meses de idade.

Um lado do rosto e da cabeça pode achatar porque a criança sempre dorme de um lado.

Tratamento Não Cirúrgico


O tratamento padrão para torcicolo muscular congênito consiste em um programa de exercícios para alongar o músculo esternocleidomastóideo.

Os exercícios de alongamento incluem girar o pescoço do bebê de um lado para o outro, para que o queixo toque cada ombro, e inclinar suavemente a cabeça para trazer a orelha do lado não afetado para o ombro.

Esses exercícios devem ser feitos várias vezes ao dia. O médico ou fisioterapeuta poderá ensinar como executar os exercícios em casa.

Há outras coisas que você pode fazer em casa para ajudar:

Coloque os brinquedos onde seu bebê deve virar a cabeça para vê-los.

Carregue seu filho de uma forma para que ele desvie o olhar do lado limitado.

Posicione o berço e o trocador de forma que seu filho deva desviar o olhar do lado limitado.

Coloque seu bebê de bruços por breves períodos, quando acordado, para ajudar a fortalecer os músculos do pescoço. 

Tratamento cirúrgico

Se as opções não cirúrgicas não corrigirem o torcicolo, o ortopedista poderá indicar a cirurgia.

Aproximadamente 10% das crianças com torcicolo muscular congênito necessitam de cirurgia. A operação é normalmente agendada quando a criança atinge os anos pré-escolares. O procedimento alongará o músculo esternocleidomastóideo o qual está encurtado.